Pular para o conteúdo principal

O DIA EM QUE O PRETO VELHO ME ENSINOU QUAL ERA O MEU TALENTO!



Uma pessoa procurou o terreiro em gira de Pretos velho com a seguinte queixa:

-Eu não tenho talento nenhum, todos estão sendo promovidos e eu estou ficando para traz. Parece que eu nunca faço nada correto.

-Todos temos algum talento, disse Pai Joaquim das Almas.

- Eu não tenho nenhum, disse o consulente.

- Tome um banho de alecrim do pescoço para baixo e procure fazer um trabalho voluntário onde possa ajudar uma pessoa sem ganhar nada em troca. Todos temos condições de ter a caridade como um talento. Depois que fizer isso volte aqui para falarmos deste sentimento que você está sentindo.

Incentivado pela humildade e sabedoria da linha de Pretos Velhos o consulente  foi a um centro de voluntariado para inscrever-se em trabalho voluntário e ao se deparar com a ficha de inscrição foi embora, pois não conseguia lembrar de nenhum talento. Como ele poderia ajudar uma pessoa se ele não conseguia ajudar nem a si mesmo? Não conseguia nenhuma promoção no trabalho?

Quando estava na porta da instituição para sair a simpática recepcionista (Uma velhinha de mais de 60 anos) indagou ao rapaz: "Por que vai embora meu filho?” e Ele disse: "Por que não tenho nenhum talento, não posso ajudar com nada!". A Velha pegou na mão do rapaz e o levou até um Banner que dizia:

"Ei Você! Você que não sabe dançar, não sabe rezar, não sabe operar máquinas complexas, não sabe fazer cálculos, não sabe fazer artesanato, não sabe cantar, não sabe falar outro idioma, não tem dinheiro para ajudar o próximo, não tem carro, não tem celular, não tem casa na praia, não sabe pintar, não sabe confortar os que choram......mas eu achei um talento em você!!!!!! Você é paciente suficiente para parar e ler este Banner...que tal ser um voluntariado e ler histórias para os que não tem a mesma sorte que você e perderam a visão antes mesmos de ganhá-las??? Gostou? Aqui no centro há crianças que seriam eternamente gratas por você compartilhar este talento com elas".

Moral da Fábula: Todos possuem um talento especial, as vezes somente precisamos de alguma ajuda para achar o nosso! Este consulente lê histórias para crianças cegas e comuns em orfanatos até hoje. Ele não ficou rico, mas preencheu aquele vazio. Descobriu que é muito mais talentoso para os assuntos divinos do que para os assuntos carnais. As vezes você busca um terreiro esperando que o guia espiritual lhe instaure algum talento divino, quando na verdade ele pode estar adormecido dentro de você esperando apenas para ser regado.


Pai Joaquim das Almas é o preto velho que trabalha com o Sacerdote Eduardo de Oxossi no terreiro Pena Verde, Pena Azul e Caboclo Flecheiro de Aruanda. O banho de alecrim é muito conhecido para afastar maus sentimentos, desatar nós do coração, baixa estima, etc. Um bom banho de ervas atrelado ao conselho humilde de um preto velho, a uma bondosa alma caridosa que o visitou e a iniciativa e força de vontade do seu consulente trouxe grandes mudanças na vida de uma pessoa. E você, o que quer mudar na sua vida?  

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

TRABALHOS COM CABEÇA DE CERA NA UMBANDA

INTRODUÇÃO A Cabeça é o lugar mais sagrado para o Umbandista. É ali que vive o seu Ori, sua coroa, sua mente, seu cérebro, o início dos seus chacras, etc. Trabalhos com cabeça de cera devem ser feitos por pessoas experientes e fundamentadas. Na dúvida sobre o que ou como fazer, sempre consulte o pai de santo de sua confiança.  CABEÇA DE CERA PARA OXUM: PEDIDOS E PROMESSAS Oxum (Nossa senhora de aparecida) é muito conhecida por receber cabeças de cera em seus trabalhos, seja ele para amor (embora a Umbanda em si seja contra trabalhos de amarrações) ou para outros pedidos.  Em São Paulo está localizado o Santuário de Aparecida do Norte. Lá é recebido diariamente muitas peças de cera em pedido ou agradecimento de graças alcançadas por seus fiéis.  Podemos fazer cabeça de cera para cura, para melhorar os pensamentos, clarear as ideias, etc.  CABEÇA DE CERA COM YEMANJÁ: CALMA, LIMPEZA E DISCERNIMENTO.  Yemanjá é a mãe de todos. Este trabalho é indicado para ac

VELAS E SUAS DEFORMAÇÕES: "MINHA VELA BORRADA, O QUE ISSO QUER DIZER?"

INTRODUÇÃO A Umbanda é uma religião que trabalha com energia, portanto, ela pode se movimentar de ponta a ponta, de forma neutra ou intencionada. Sendo intencionada, podemos identificá-la como positiva ou negativa, recebida ou negada, desviada, redirecionada, etc. Se formos olhar a definição de dicionário, "energia" nada mais é do que a capacidade de um corpo, objeto ou molécula realizar seu trabalho. Se formos pensar em "energia de vela", seria a capacidade que a vela tem de executar o seu trabalho (quebra demanda, proteção, maldade, reversão, desvio, anulação, potencialização, cobrança, correção, direcionamento, etc).  Muitas pessoas que acendem velas se perguntam: "Olha como minha vela ficou", o que isso quer dizer? Para responder essa pergunta primeiro é necessário levantar quais variáveis borram uma vela. Sua vela pode borrar por estar exposta ao vento (ventilador, janela aberta, porta aberta, alguém que passou correndo, etc), pode

POR QUE OS ORIXÁS COBREM O ROSTO NO CANDOMBLÉ?

Foto de Oxum Recebi esta pergunta de um internauta neste mês de junho e embora o nosso blog seja voltado ao estudo da doutrina espírita, é sempre muito válido estudarmos as outras religiões espíritas. Conhecimento nunca é demais! Para responder a esta pergunta vamos ter que recorrer a um pouco de "História". Há muito tempo atrás, em especial na África, os primeiros reis e rainhas eram tidos como sagrados, como se fossem seres escolhidos pelos deuses para reinar na terra e, portanto, muito elevados em relação ao seu clero, sua população, povo, etc. Elevados ao ponto destes não serem dignos de verem os seus rostos.  Nas roupas de santo do Candomblé, muitas nações em cobrem os rostos dos filhos com Adês (Coroas) análogas a da realeza. Muitas delas acompanham uma espécie de cortinas em forma de franja de miçangas (Imbé), como respeito ao Orixá e de certa forma dizendo que não somos dignos de ver o seu rosto quando incorporado em terra. A derivação de outros materia