Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2015

REZAS, ORAÇÃO E INTERCESSÃO DENTRO DA CORRENTE DE UMBANDA

Quem nunca ouviu o termo "oração"? Mas será que sabemos o que de fato ele significa? Este termo é a junção de dois comportamentos: Orar + Ação/agir = ORAÇÃO. Orar, ou popularmente "Rezar" consiste em proferir palavras e/ou pensamentos em forma de prece, pedido, súplica, benção ou semelhante. Temos rezas em formas pré escritas como o "Pai Nosso" presente na própria bília (Matheus 6), "Ave Maria", "Glória ao pai", "Credo", "Salve Rainha", "Santo Anjo do Senhor", entre outros, temos rezas espontâneas (são aquelas que fazemos na hora com palavras que sentimos no momento), temos rezas organizadas em forma de culto, terço, vigília e não poderia ser diferente, temos rezas dentro da gira de Umbanda. Este artigo objetiva apresentar ao leitor algumas destas rezas, como fazê-las, qual sua importância, seus benefícios e eficácia. Boa leitura! 1) REZA OU PRECE DE ABERTURA Oque é? Consiste em oraçã

ORELHAS E MUTILAÇÕES – “QUIZILA DE XANGO”

No ultimo texto sobre “Quizila de Santo”, abordamos o álcool como quizila de Oxalá. Como explicamos antes, “Quizila” ou "Ewó" é o termo dado à proibição de certos alimentos, manuseio de oferendas, itens ou ainda, limitações comportamentais imposta pelo Orixá ao seu filho. Como todo estudo fundamentado, iniciaremos por uma das lendas contadas e sua ligação com este Ewó. Na maioria das lendas divulgadas Obá foi a primeira mulher de Xangô. Há duas versões mais populares sobre como ela teria perdido sua orelha: A) na primeira delas o fez por ter sido ludibriada por Oxum. Oxum teria induzindo-a a cortar a orelha alegando que Xango a amaria mais vendo este gesto de sacrifício; B) na segunda, a intenção era puramente o sacrifício. Nas duas versões, Obá corta a própria orelha por amor a Xangô servindo-o como alimento. O que deu errado na história é que Xango recusou. O Rei e Orixá que teme a morte abominou esta atitude tendo-a como imatura, insana e desnecessária. O qu

ABÍKÚ: NASCIDO PARA MORRER

Alguns internautas tem me procurado para saber sobre o termo Abíkú. Em toda minha experiência na Umbanda, raramente vi este termo sendo empregado, por outro lado, ele é frequentemente visto em algumas nações de Candomblé. Conhecimento é conhecimento, seja ele Umbandista, Candonblecista, etc. É sempre muito rico lermos e aprendermos da nossa e das outras religiões para em um futuro mantermos um bom diálogo, respeito e saber criticar ou opinar sobre uma determinada prática religiosa com fundamento e não meramente "criticar por criticas". As religiões espíritas tem fundamento e é preciso estudá-las. Então para não deixar os leitores do Blog "Baiano Juvenal" sem resposta, busquei uma versão que achei interessante sobre o termo "Abíkú", abaixo compartilho com vocês. Boa leitura! Eduardo de Oxossi Administrador do Blog A tradução literal é "Nascido para morrer", nome designado a crianças ou jovens que morrem antes de seus pais. Há, a

BEBIDA ALCÓOLICA: QUIZILA DE OXALÁ!

No mês de Março postamos o texto sobre "Quizila de Oxossi", no início do mês de abril um texto sobre "Quizila de Nanã" e agora traremos um texto sobre "Quizila de Oxalá". Vale apena lembrar que Quizila ou "Ewó" é o termo dado à proibição de certos alimentos, manuseio de oferendas, itens ou ainda, limitações comportamentais imposta pelo Orixá ao seu filho. Como todo estudo fundamentado, iniciaremos por uma das lendas contadas e sua ligação com este Ewó. OLORUM: O CRIADOR* No princípio  do mundo tal como se conta na bíblia sagrada não havia nada, somente havia Olorun, e ele era o Único existindo na Eternidade e no Infinito. Porém, Olorun se sentiu só e entediado. Sua plenitude era silenciosa, neutra e vazia. Por isso, Olorun, que era o Universo propriamente dito, fragmentou a si mesmo (Aqui podemos fazer uma analogia com o que os cientistas chamam de "Big Bang" - a explosão do universo que dá origem aos planetas e mundos) t

O QUE É INTUIÇÃO?

Você já passou pela situação de sugerir algo a uma pessoa, algum conselho, ou comentário que tenha servido como coincidência, previsão de futuro, adivinhação ou acerto sobre o que estava falando, mesmo que não soubesse antes? Já sentiu algum dia que deveria ou não sair de casa e neste dia algo de bom ou de ruim acontecer? De sonhar e/ou ter a sensação de conhecer pessoas no meio da rua e/ou de já ter estado em determinado lugar? Fique calmo! Você não está ficando louco! Estas e outras atitudes compõe a gama do comportamento que no senso comum chamamos de “Intuição”, todavia descobriremos que intuir é diferente de adivinhar! A palavra Intuição vem de “Intuir”, a começar pelo dicionário: 1) faculdade ou ato de perceber, discernir ou pressentir coisas, independentemente de raciocínio ou de análise. 2) forma de conhecimento direta, clara e imediata, capaz de investigar objetos pertencentes ao âmbito intelectual, a uma dimensão metafísica ou à realidade concreta. Em ou

QUIZILA DE SANTO: METAL É QUIZILA DE NANÃ!

Em março escrevemos sobre a Quizila de Oxossi (Mel) e este mês estamos trazendo ao leitor a história da Quizila de Nanã (Metal). Boa leitura! No inicio dos tempos os pântanos cobriam quase toda a terra, este território fazia parte do reino de Nanã Buruquê. Ela tomava conta de tudo como boa soberana que era. Quando todos os reinos foram divididos por Olorun (Deus) e entregues aos Orixás (Forças da Natureza) uns passaram a adentrar nos domínios dos outros e muitas discórdias passaram a ocorrer. Foi nessa época que surgiu esta lenda. Ogum (Orixá guerreiro das estradas, da guerra e do metal) precisava chegar ao outro lado de um grande pântano, lá havia uma séria confusão ocorrendo e sua presença era solicitada com urgência. Resolveu então atravessar o lodaçal para não perder tempo. Ao começar a travessia que seria longa e penosa ouviu atrás de si uma voz ranzinza e autoritária: - Volte já para o seu caminho rapaz! Era Nanã com sua majestosa figura matriarcal que