Pular para o conteúdo principal

A LINHA DE ERES NA UMBANDA

INTRODUÇÃO


Foto: Entrega para Erês dos médiuns do Terreiro de Umbanda Pena Azul, Pena Verde e Caboclo Flecheiro de Aruanda

A linha de erês é composta e dirigida por Cosme, Damião e Doum. Em outras casas é dirigida por Ibeji (O dirigente divino das crianças), em outras casas ainda pode-se perceber a linha dirigida por Iorimá. Cada casa tem a sua doutrina, seus ensinamentos e suas regras.

A linha de crianças é uma das mais antigas da Umbanda, diz-se alguns pais de santos que estes espíritos são tão antigos e evoluídos que se apresentam na figura de crianças. No candomblé, como o Orixá em si não tem o hábito de falar, é geralmente um erê quem faz a tradução do que o santo quer ou precisa.

Já na Umbanda, a linha ganhou espaço e se popularizou através das famosas festas de Cosme e Damião, onde são distribuídos doces a pessoas da assistência e em alguns casos até estendidas ao bairro e/ou a instituições de caridade como orfanatos.

CARACTERÍSTICAS DA LINHA



Foto: Entrega para Erê Gustavo, guia e mentor do médium Eduardo de Oxossi, um dos dirigentes e sacerdotes espirituais do Terreiro de Umbanda Pena Azul, Pena Verde e Caboclo Flecheiro de Aruanda

Esta linha é caracterizada pelo branco, azul claro e rosa claro. Os guias usam fios de contas variando estas cores e geralmente acompanham chupetas como adereços. Os erês na figura de meninos preferem o azul, brinquedos como carrinhos, bola, boné, etc. Já as meninas, optam pelo rosa, bonecas, enfeites de cabelo, etc.

Erês ligado ao santo podem ainda incluir objetos do ponto de força de um determinado Orixá, como por exemplo, um erê de Yemanjá obter uma estrela do mar, um erê de Xango obter uma pedra, um erê de Oxum obter um espelho e assim por diante.

São espíritos alegres, sorridentes, brincalhões, falam o que pensam e usam a inocência de uma criança para referir-se a assistência. Seus trabalhos são organizados com muito canto, reza, velas e doces.

A maioria das casas reservam os domingos para cuidar desta linha. Sua saudação pode variar ("Dois Dois", "Saravá Ibejada", "Saravá Cosme e Damião"). O importante é você entender o mistério do seu guia e a doutrina da casa espiritual em que você atua.

O QUE PEDIR A LINHA DE ERÊS

Esta linha é geralmente indicada para trabalho com crianças (bucho virado, birras, isolamento social, proteger a inocência, proteger de maus tratos, etc), com adolescente e adultos (eliminar a tristeza, trazer motivação, caminhos, emprego, etc), para pessoas que estão com problemas para engravidar, para prosperidade, etc.

ENTREGAS PARA ERÊS


Foto: Entrega para Erê Gustavo, guia e mentor do médium Eduardo de Oxossi, um dos dirigentes e sacerdotes espirituais do Terreiro de Umbanda Pena Azul, Pena Verde e Caboclo Flecheiro de Aruanda 

As entregas de erê geralmente acompanham doce, guaraná, pipoca doce, maria more e doces antigos (doce de batata, doce de abobora, doce de leite, paçoca, pé de moleque, etc), lembrando que estes espíritos viveram nesta época. Ou no caso do mistério do guia, doces regionais do local onde esteve em vida, como por exemplo, quebra queixo, etc. No Candomblé, eles comem além de doces, comida a base de quiabo, frango, etc.

CONCLUSÃO

Muitos médiuns apresentam dificuldade em incorporar esta linha em função de serem adultos tendo que emitir comportamentos infantilizados, isso é uma besteira. Trata-se de uma linha com poder, mistério e magia como qualquer outra. Na dúvida sobre o que fazer para linha de erês, como trabalhar sua incorporação nesta linha, o que e quando fazer uma entrega, sempre procure o pai de santo de sua confiança ou da casa em que atua.

PONTOS DE ERES



Mariazinha na beira da praia,
Como é que você sacode a saia,
É assim, é assim Olêle
É assim é assim Olalá


Mariazinha na beira da praia,
Como é que você sacode a saia,
É assim, é assim Olêle
É assim é assim Olalá

___________________________

Eu vi Doum na beira da praia
Comendo arroz, bebendo água


Eu vi Doum na beira da praia
Comendo arroz, bebendo água

___________________________

Eu quero doce, eu quero bala
Eu quero açúcar para passar na sua cara!


Eu quero doce, eu quero bala
Eu quero açúcar para passar na sua cara!

___________________________

O Cosme, O Cosme O Cosme
O Cosme, O Cosme e Damião
Olhai pelas Crianças, pedindo a Oxalá
Que Jesus dê proteção e abençoe este Congá


O Cosme, O Cosme O Cosme
O Cosme, O Cosme e Damião
Olhai pelas Crianças, pedindo a Oxalá
Que Jesus dê proteção e abençoe este Congá

____________________________

Os Cosme e Damião, O Cosme e Damião
A sua casa cheira, cheira Cravo, cheira Rosa, cheira flor de Laranjeira
A sua casa cheira, cheira Cravo, cheira Rosa, cheira flor de Laranjeira 

Os Cosme e Damião, O Cosme e Damião
A sua casa cheira, cheira Cravo, cheira Rosa, cheira flor de Laranjeira
A sua casa cheira, cheira Cravo, cheira Rosa, cheira flor de Laranjeira 

____________________________

Fui no Jardim colher a rosa,
a vovozinha deu-me a rosa mais formosa


Fui no Jardim colher a rosa,
a vovozinha deu-me a rosa mais formosa

____________________________

Andorinha que voa voa andorinha,
Leva as crianças para o céu andorinha


Andorinha que voa voa andorinha,
Leva as crianças para o céu andorinha

____________________________

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

TRABALHOS COM CABEÇA DE CERA NA UMBANDA

INTRODUÇÃO A Cabeça é o lugar mais sagrado para o Umbandista. É ali que vive o seu Ori, sua coroa, sua mente, seu cérebro, o início dos seus chacras, etc. Trabalhos com cabeça de cera devem ser feitos por pessoas experientes e fundamentadas. Na dúvida sobre o que ou como fazer, sempre consulte o pai de santo de sua confiança.  CABEÇA DE CERA PARA OXUM: PEDIDOS E PROMESSAS Oxum (Nossa senhora de aparecida) é muito conhecida por receber cabeças de cera em seus trabalhos, seja ele para amor (embora a Umbanda em si seja contra trabalhos de amarrações) ou para outros pedidos.  Em São Paulo está localizado o Santuário de Aparecida do Norte. Lá é recebido diariamente muitas peças de cera em pedido ou agradecimento de graças alcançadas por seus fiéis.  Podemos fazer cabeça de cera para cura, para melhorar os pensamentos, clarear as ideias, etc.  CABEÇA DE CERA COM YEMANJÁ: CALMA, LIMPEZA E DISCERNIMENTO.  Yemanjá é a mãe de todos. Este trabalho é indicado para ac

VELAS E SUAS DEFORMAÇÕES: "MINHA VELA BORRADA, O QUE ISSO QUER DIZER?"

INTRODUÇÃO A Umbanda é uma religião que trabalha com energia, portanto, ela pode se movimentar de ponta a ponta, de forma neutra ou intencionada. Sendo intencionada, podemos identificá-la como positiva ou negativa, recebida ou negada, desviada, redirecionada, etc. Se formos olhar a definição de dicionário, "energia" nada mais é do que a capacidade de um corpo, objeto ou molécula realizar seu trabalho. Se formos pensar em "energia de vela", seria a capacidade que a vela tem de executar o seu trabalho (quebra demanda, proteção, maldade, reversão, desvio, anulação, potencialização, cobrança, correção, direcionamento, etc).  Muitas pessoas que acendem velas se perguntam: "Olha como minha vela ficou", o que isso quer dizer? Para responder essa pergunta primeiro é necessário levantar quais variáveis borram uma vela. Sua vela pode borrar por estar exposta ao vento (ventilador, janela aberta, porta aberta, alguém que passou correndo, etc), pode

POR QUE OS ORIXÁS COBREM O ROSTO NO CANDOMBLÉ?

Foto de Oxum Recebi esta pergunta de um internauta neste mês de junho e embora o nosso blog seja voltado ao estudo da doutrina espírita, é sempre muito válido estudarmos as outras religiões espíritas. Conhecimento nunca é demais! Para responder a esta pergunta vamos ter que recorrer a um pouco de "História". Há muito tempo atrás, em especial na África, os primeiros reis e rainhas eram tidos como sagrados, como se fossem seres escolhidos pelos deuses para reinar na terra e, portanto, muito elevados em relação ao seu clero, sua população, povo, etc. Elevados ao ponto destes não serem dignos de verem os seus rostos.  Nas roupas de santo do Candomblé, muitas nações em cobrem os rostos dos filhos com Adês (Coroas) análogas a da realeza. Muitas delas acompanham uma espécie de cortinas em forma de franja de miçangas (Imbé), como respeito ao Orixá e de certa forma dizendo que não somos dignos de ver o seu rosto quando incorporado em terra. A derivação de outros materia