Pular para o conteúdo principal

QUIZILA DE SANTO: METAL É QUIZILA DE NANÃ!

Em março escrevemos sobre a Quizila de Oxossi (Mel) e este mês estamos trazendo ao leitor a história da Quizila de Nanã (Metal). Boa leitura!



No inicio dos tempos os pântanos cobriam quase toda a terra, este território fazia parte do reino de Nanã Buruquê. Ela tomava conta de tudo como boa soberana que era. Quando todos os reinos foram divididos por Olorun (Deus) e entregues aos Orixás (Forças da Natureza) uns passaram a adentrar nos domínios dos outros e muitas discórdias passaram a ocorrer.

Foi nessa época que surgiu esta lenda. Ogum (Orixá guerreiro das estradas, da guerra e do metal) precisava chegar ao outro lado de um grande pântano, lá havia uma séria confusão ocorrendo e sua presença era solicitada com urgência.

Resolveu então atravessar o lodaçal para não perder tempo. Ao começar a travessia que seria longa e penosa ouviu atrás de si uma voz ranzinza e autoritária:

- Volte já para o seu caminho rapaz!

Era Nanã com sua majestosa figura matriarcal que não admitia contrariedades.

- Para passar por aqui tem que pedir licença! Disse Nanã.

- Como pedir licença? Sou um guerreiro, preciso chegar ao outro lado urgente. Há um povo inteiro que precisa de mim.

-Não me interessa o que você é e sua urgência não me diz respeito. Ou pede licença ou não passa. Aprenda a ter consciência do que é respeito ao alheio.

Ogum riu com escárnio:

- O que uma velha pode fazer contra alguém jovem e forte como eu? Irei passar e nada me impedirá!

Nanã imediatamente deu ordem para que a lama tragasse Ogum para impedir seu avanço. O barro agitou-se e de repente começou a se transformar em grande redemoinho de água e lama. Ogum teve muita dificuldade para se livrar da força imensa que o sugava. Todos seus músculos retesavam-se com a violência do embate. Foram longos minutos de uma luta sufocante até que conseguiu sair, no entanto, não conseguiu avançar e sim voltar para a margem. De lá gritou:

-Velha feiticeira, você é forte não nego, porém também tenho poderes. Encherei esse barro que chamas de reino com metais pontiagudos e nem você conseguirá atravessa-lo sem que suas carnes sejam totalmente dilaceradas!

E assim fez. O enorme pântano transformou-se em uma floresta de facas e espadas que não permitiriam a passagem de mais ninguém. Desse dia em diante Nanã aboliu de suas terras o uso de metais de qualquer espécie. Ficou furiosa por perder parte de seu domínio, mas intimamente orgulhava-se de seu trunfo: Ogum não passou!

MORAL DA HISTÓRIA


Diz-se então que metal é Quizila de nanã. Sua comida jamais pode ser cortada ou empregada com algum tipo de metal. Quizila diz respeito a tudo aquilo que o santo rejeita. Umbanda é fundamento e fundamento exige estudo. Há muitas outras lendas pela internet, em livros e em registros teológicos, podem e são contadas de forma diferente mas a grande parte parece concordar que Nanã Buruquê dispensa o metal em seus trabalhos, magia e comida ritualística. 

Entregar metal para Nanã Buruquê é uma afronta! Entregas quiziladas são comum em trabalhos de quimbanda e magia negra afim de derrubar a força do Orixá de alguém. O espiritismo não faz ninguém melhor ou pior, mas as nossas atitudes em querer o bem ou o mal do próximo sim. Umbanda é amor, caridade e fé. É a religião que prega os valores do evangélio sobre uma perspectiva diferente, porém, com o mesmo foco em Deus nosso senhor e mentor.

Comentários

  1. Bom dia gostei muito e queria saber se este orixá nanã pode comer pela mão de homen

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

TRABALHOS COM CABEÇA DE CERA NA UMBANDA

INTRODUÇÃO A Cabeça é o lugar mais sagrado para o Umbandista. É ali que vive o seu Ori, sua coroa, sua mente, seu cérebro, o início dos seus chacras, etc. Trabalhos com cabeça de cera devem ser feitos por pessoas experientes e fundamentadas. Na dúvida sobre o que ou como fazer, sempre consulte o pai de santo de sua confiança.  CABEÇA DE CERA PARA OXUM: PEDIDOS E PROMESSAS Oxum (Nossa senhora de aparecida) é muito conhecida por receber cabeças de cera em seus trabalhos, seja ele para amor (embora a Umbanda em si seja contra trabalhos de amarrações) ou para outros pedidos.  Em São Paulo está localizado o Santuário de Aparecida do Norte. Lá é recebido diariamente muitas peças de cera em pedido ou agradecimento de graças alcançadas por seus fiéis.  Podemos fazer cabeça de cera para cura, para melhorar os pensamentos, clarear as ideias, etc.  CABEÇA DE CERA COM YEMANJÁ: CALMA, LIMPEZA E DISCERNIMENTO.  Yemanjá é a mãe de todos. Este trabalho é indicado para ac

VELAS E SUAS DEFORMAÇÕES: "MINHA VELA BORRADA, O QUE ISSO QUER DIZER?"

INTRODUÇÃO A Umbanda é uma religião que trabalha com energia, portanto, ela pode se movimentar de ponta a ponta, de forma neutra ou intencionada. Sendo intencionada, podemos identificá-la como positiva ou negativa, recebida ou negada, desviada, redirecionada, etc. Se formos olhar a definição de dicionário, "energia" nada mais é do que a capacidade de um corpo, objeto ou molécula realizar seu trabalho. Se formos pensar em "energia de vela", seria a capacidade que a vela tem de executar o seu trabalho (quebra demanda, proteção, maldade, reversão, desvio, anulação, potencialização, cobrança, correção, direcionamento, etc).  Muitas pessoas que acendem velas se perguntam: "Olha como minha vela ficou", o que isso quer dizer? Para responder essa pergunta primeiro é necessário levantar quais variáveis borram uma vela. Sua vela pode borrar por estar exposta ao vento (ventilador, janela aberta, porta aberta, alguém que passou correndo, etc), pode

MAGIAS COM MAÇÃ NA UMBANDA

A maçã é uma fruta afrodisíaca com diversos benefícios para o organismo humano. Ela combate o envelhecimento, ajuda no controle do hálito, controle de diabetes (por ser rica em pectina), controle do colesterol, etc. No geral, frutas com a polpa branca, como maçã e pera, podem reduzir o risco de uma pessoa sofrer um acidente vascular cerebral (AVC). Esta é a conclusão de um estudo feito pela Universidade de Wageningen, na Holanda, em que foram acompanhadas 20.069 pessoas, entre as idades de 20 e 65 anos.  A pesquisa levou dez anos para ser desenvolvida. Após este período, os pesquisadores viram que as pessoas que mais comiam alimentos de polpa branca de frutas e legumes tinham 52% menos chances de ter um AVC. Apesar de deixarem claro que é preciso ter mais estudos para confirmar as descobertas, os estudiosos afirmam que o consumo de uma maçã por dia, reduz o risco em cerca de 40% (Fonte: Ciclovivo.com.br). A Maçã ainda é indicada para combater problemas respiratórios