Pular para o conteúdo principal

O QUE É INTUIÇÃO?



Você já passou pela situação de sugerir algo a uma pessoa, algum conselho, ou comentário que tenha servido como coincidência, previsão de futuro, adivinhação ou acerto sobre o que estava falando, mesmo que não soubesse antes? Já sentiu algum dia que deveria ou não sair de casa e neste dia algo de bom ou de ruim acontecer? De sonhar e/ou ter a sensação de conhecer pessoas no meio da rua e/ou de já ter estado em determinado lugar? Fique calmo! Você não está ficando louco!

Estas e outras atitudes compõe a gama do comportamento que no senso comum chamamos de “Intuição”, todavia descobriremos que intuir é diferente de adivinhar! A palavra Intuição vem de “Intuir”, a começar pelo dicionário:

1) faculdade ou ato de perceber, discernir ou pressentir coisas, independentemente de raciocínio ou de análise.
2) forma de conhecimento direta, clara e imediata, capaz de investigar objetos pertencentes ao âmbito intelectual, a uma dimensão metafísica ou à realidade concreta.

Em outras palavras o que parece estar em jogo no comportamento de intuição é que ele é uma forma de analisar as coisas sem a presença do comportamento de "raciocínio lógico aparente".

Uma vez me contaram a história de um Preto Velho que indicou que a pessoa tomasse sopa de peixe para combater as dores que tinha na perna. Se você perguntar ao médium por que ele indicou isso quando incorporado ele dirá "Não sei, foi intuição" (sem a presença do raciocínio lógico). Se perguntarmos ao Preto Velho por que ele indicou isso, nas palavras dele ele diria "Mironga, este nego usou isso no passado e deu certo" (sem a presença de raciocínio lógico. Se formos a faculdades de teologia onde a ciência estuda os fenômenos sobrenaturais estudar porque a pessoa sarou, veremos que o peixe  tem as vitaminas (Ômega 3, etc) que combatem a osteoporose. E assim se dá com todas as ervas e suas propriedades medicinais, fitoterápicas, homeopatas e afins. "Intuir" neste primeiro momento parece o comportamento de trazer a tona algo que dentro sabemos mas fora não conseguimos explicar.

Para psicóloga Virginia Marchini, fundadora do Centro de Desenvolvimento do Potencial Intuitivo, a Intuição é uma forma de conhecimento que está dentro de todos nós, embora nem todas as pessoas saibam utilizá-la, inclusive ela fundou este centro de pesquisa para ajudar pessoas a desenvolverem este comportamento. Etimologicamente, explica Virginia, a palavra intuição vem do latim intueri, que significa considerar, ver interiormente ou contemplar.

O matemático e filósofo Blaise Pascal referia-se à intuição como o produto da capacidade da mente de fazer muitas coisas ao mesmo tempo, graças às infinitas conexões inconscientes que tornam possível à mente consciente fazer escolhas. Grandes cientistas, entre eles o físico Albert Einstein, considerado o maior intuitivo da história, enfatizaram o valor do potencial intuitivo. O psiquiatra Carl Jung (Pai e percussor da psicologia analítica) dizia sobre o conhecimento intuitivo: “Cada um de nós tem a sabedoria e o conhecimento que necessita em seu próprio interior, o que talvez não temos é a capacidade de aflorá-la como se deve”.

Segundo Virginia, a mente intuitiva abre-se a respostas inovadoras e não dogmáticas, mas aprender a confiar na intuição é um grande desafio, pois o senso comum ainda considera a intuição um conhecimento de risco e quando dá errado, o generalizam como “ineficaz”.

Em todo este tempo em que pesquisou o comportamento de intuição Virgínia ainda descobriu que pessoas com baixa estima tem menor intuição, pois vivem duvidando de si mesma e de seus atributos. Mesmo diante da confirmação de que seus pensamentos deem certo, muitas vezes travam e não verbalizam, guardam suas intuições para si mesmo.

Fiquem tranquilos, pois é possível que qualquer um desenvolva intuição por meio de algumas técnicas, como o treino da habilidade no uso de imagens e símbolos, a aquisição e prática de uma postura mais reflexiva diante dos fatos rotineiros e o desenvolvimento da nossa autoconfiança. Se o nome de um determinado comportamento existe, então para os psicólogos ele é possível ensiná-lo, treiná-lo, instalá-lo e desenvolvê-lo em alguém. Tudo dependerá da qualificação de quem ensina, do desempenho de quem aprende e de quais técnicas serão empregadas nesta relação.

Em terreiros, nem os próprios dirigentes sabem ao certo como repassar todo este conhecimento a seus filhos, em geral acabam delegando isso ao guia como se magicamente um dia alguém acorda expert em “Intuição”. Intuição é comportamento e, portanto, precisa ser praticado. O Guia bebe o que o médium disponibiliza de matéria.

Infelizmente há muitas matérias por aí que não se prepararam o suficiente e já estão dando passes (seria o mesmo que liberar os médicos no inicio da graduação para já fazerem cirurgias!). Como desenvolver em um médium novo todas as habilidades e competências que ele precisa para atuar com passe, cura, transporte ou afim é, entre outras questões, o que acaba passando batido na formação mediúnica, o que resulta em uma discrepância na hora de visitar terreiros e, portanto, resulta em mais afinidade com determinado guia. As vezes vamos no terreiro e o guia fala “O que você quer”, outros usam a boca do médium e já trazem com a intuição “Filho, você está se sentindo desta e desta maneira....você está assim?”.

Guias em terra que chegam e bebem da matéria a intuição melhor lapidada e apurada, tendem a acumular mais filas de consulentes do que outros que travam a língua e não conseguem se quer dizer uma palavra de conforto a quem visita o terreiro. A Intuição é a habilidade básica do médium que atua com passe e consulta, pois é através do NÃO DITO que vem o que precisa ser DITO.

Não devemos confundir intuição com adivinhação! Adivinhação subentende-se como prever o futuro (antecipar algo que ainda não aconteceu e dependendo do presente, talvez nem venha a acontecer no futuro previsto) e intuir significa sentir algo, coisas, nuanças que estejam no ar. É a arte de ler aquilo que os olhos não estão vendo em um primeiro momento.

Vou dar um exemplo! Você talvez não se lembre das aulas de física do colégio, mais especificamente como calcular a fórmula de tempo e movimento, todavia, ao atravessar a rua fora do farol e verificar se um carro vem vindo, você usa a intuição para verificar se dará tempo de você atravessar sem o carro te pegar. Isso não é prever o futuro, mas analisar as contingências presentes das quais o seu olho e a sua consciência não estão vendo e dar voz ao que o inconsciente vê e / ou guardou.

Muitas pessoas tem dificuldade de falar ou contar o que aconteceu com elas. Desenvolver a intuição é algo que deve ser levado mais a sério na religião espírita uma vez que esta é a ferramenta fundamental de trabalho dos guias: “desvendar aquilo que talvez nem a pessoa saiba que está atrapalhando sua vida”.

Banhos de anis estrelado, colônia, noz moscada entre outros são frequentemente indicado pelos guias e mentores para aguçar a intuição. Todavia, tomar o banho e esperar que a intuição saia do além é prematuro e inadequado. “Intuição” representa “ação de intuir” (intuiÇÃO), quando o guia delega um banho o banho vem para intuir, ainda nos cabe a responsabilidade de agir, da ação, da atitude.



Um bom casamento para praticar a intuição é tomar o banho que o guia pede (tratamento para intuir) e praticar algum tipo de intuição (Nossa ação propriamente dita). Cuidar da nossa autoestima, da nossa autoconfiança, dos nossos medos e receios também tem dado muito certo nos trabalhos citados pela psicóloga Virginia. Não existe receita mágica que não muito banho, estudo e aplicação disso na nossa prática diária.   

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

TRABALHOS COM CABEÇA DE CERA NA UMBANDA

INTRODUÇÃO A Cabeça é o lugar mais sagrado para o Umbandista. É ali que vive o seu Ori, sua coroa, sua mente, seu cérebro, o início dos seus chacras, etc. Trabalhos com cabeça de cera devem ser feitos por pessoas experientes e fundamentadas. Na dúvida sobre o que ou como fazer, sempre consulte o pai de santo de sua confiança.  CABEÇA DE CERA PARA OXUM: PEDIDOS E PROMESSAS Oxum (Nossa senhora de aparecida) é muito conhecida por receber cabeças de cera em seus trabalhos, seja ele para amor (embora a Umbanda em si seja contra trabalhos de amarrações) ou para outros pedidos.  Em São Paulo está localizado o Santuário de Aparecida do Norte. Lá é recebido diariamente muitas peças de cera em pedido ou agradecimento de graças alcançadas por seus fiéis.  Podemos fazer cabeça de cera para cura, para melhorar os pensamentos, clarear as ideias, etc.  CABEÇA DE CERA COM YEMANJÁ: CALMA, LIMPEZA E DISCERNIMENTO.  Yemanjá é a mãe de todos. Este trabalho é indicado para ac

VELAS E SUAS DEFORMAÇÕES: "MINHA VELA BORRADA, O QUE ISSO QUER DIZER?"

INTRODUÇÃO A Umbanda é uma religião que trabalha com energia, portanto, ela pode se movimentar de ponta a ponta, de forma neutra ou intencionada. Sendo intencionada, podemos identificá-la como positiva ou negativa, recebida ou negada, desviada, redirecionada, etc. Se formos olhar a definição de dicionário, "energia" nada mais é do que a capacidade de um corpo, objeto ou molécula realizar seu trabalho. Se formos pensar em "energia de vela", seria a capacidade que a vela tem de executar o seu trabalho (quebra demanda, proteção, maldade, reversão, desvio, anulação, potencialização, cobrança, correção, direcionamento, etc).  Muitas pessoas que acendem velas se perguntam: "Olha como minha vela ficou", o que isso quer dizer? Para responder essa pergunta primeiro é necessário levantar quais variáveis borram uma vela. Sua vela pode borrar por estar exposta ao vento (ventilador, janela aberta, porta aberta, alguém que passou correndo, etc), pode

MAGIAS COM MAÇÃ NA UMBANDA

A maçã é uma fruta afrodisíaca com diversos benefícios para o organismo humano. Ela combate o envelhecimento, ajuda no controle do hálito, controle de diabetes (por ser rica em pectina), controle do colesterol, etc. No geral, frutas com a polpa branca, como maçã e pera, podem reduzir o risco de uma pessoa sofrer um acidente vascular cerebral (AVC). Esta é a conclusão de um estudo feito pela Universidade de Wageningen, na Holanda, em que foram acompanhadas 20.069 pessoas, entre as idades de 20 e 65 anos.  A pesquisa levou dez anos para ser desenvolvida. Após este período, os pesquisadores viram que as pessoas que mais comiam alimentos de polpa branca de frutas e legumes tinham 52% menos chances de ter um AVC. Apesar de deixarem claro que é preciso ter mais estudos para confirmar as descobertas, os estudiosos afirmam que o consumo de uma maçã por dia, reduz o risco em cerca de 40% (Fonte: Ciclovivo.com.br). A Maçã ainda é indicada para combater problemas respiratórios