terça-feira, 14 de agosto de 2018

terça-feira, 7 de agosto de 2018

PONTO DE MARIA NAVALHA


PODE ME CHAMAR DE COVARDE
MAS NÃO ABANDONO ESSA MULHER
PODE ME CHAMAR DE COVARDE
MAS NÃO ABANDONO ESSA MULHER

ISSO NÃO É MULHER
É UMA TENTAÇÃO
ISSO NÃO É MULHER
É UMA TENTAÇÃO

ELA JOGA BARALHO
ELA PUXA A NAVALHA
RISCA A FACA NO CHÃO

ELA JOGA BARALHO
ELA PUXA A NAVALHA
RISCA A FACA NO CHÃO


PARA OLHAR A UMBANDA TEM QUE VER DE PERTO - POR EDUARDO DE OXOSSI



Já percebeu os arrepios provocados pelo atabaque?
Já sentiu o cheiro da defumação?
Já foi acalentado pelos braços de uma mãe Yaba?
Já chorou no colo de um Preto Velho?
Já deu boas risadas com marinheiros?
Já teve a sorte revelada por um Cigano?
Já se sujou de bala e guaraná com um erê?
Já viu a descida de um Caboclo?
Já viu o brado de um Boiadeiro?
Já bebeu a batida de um Baiano?
Já sentiu o perfume de uma PombaGira?
Já bateu a bateu cabeça para um Orixá?
Já acendeu sua vela de anjo de guarda?
Já viu o efeito de um banho de ervas?
Já levou bronca de Exu?
Já conseguiu uma benção pelo seu merecimento?
Já se banhou nas forças do mar e da cachoeira?
Já sentiu a grama e as matas com os pés descalços? 
Já vestiu branco?
Já se protegeu com um Patuá?
Já usou um fio de conta? 
Já teve a justiça através de Xango? 
Já teve pax de espírito pelos ensinamentos de Oxalá? 
Já evoluiu sendo melhor do que você era ontem?


Para saber o que é Umbanda tem que olhar e sentir de perto. Se contar, ninguém acredita !
Asé!

segunda-feira, 6 de agosto de 2018

O MEU LUGAR

PAI EDUARDO DE OXOSSI

Dirigente do Terreiro de Umbanda Sagrada Caboclo Pena Verde e Flecheiro de Aruanda
Rua Rio Verde, 743 (SP) - Freguesia do Ó


Compositor: Arlindo Cruz/Muro Diniz


O meu lugar,
é caminho de Ogum e Iansã,
lá tem samba até de manhã,
uma ginga em cada andar.

O meu lugar,
é cercado de luta e suor,
esperança num mundo melhor,
e cerveja pra comemorar.

O meu lugar,
tem seus mitos e seres de luz,
é bem perto de Oswaldo Cruz,
Cascadura, Vaz Lobo, Irajá.

O meu lugar,
é sorriso é paz e prazer,
o seu nome é doce dizer,
Madureira, lá, laiá.
Madureira, lá, laiá.

O meu lugar,
é caminho de Ogum e Iansã,
lá tem samba até de manhã,
uma ginga em cada andar.

O meu lugar,
é cercado de luta e suor,
esperança num mundo melhor,
e cerveja pra comemorar.

O meu lugar,
tem seus mitos e seres de luz,
é bem perto de Oswaldo Cruz,
Cascadura, Vaz Lobo, Irajá.

O meu lugar,
é sorriso é paz e prazer,
o seu nome é doce dizer,
Madureira, lá, laiá.
Madureira, lá, laiá.

Ah que lugar,
a saudade me faz relembrar,
os amores que eu tive por lá,
é difícil esquecer.

Doce lugar,
que é eterno no meu coração,
e aos poetas traz inspiração,
pra cantar e escrever.

Ah meu lugar,
quem não viu a Tia Eulália dançar,
Vó Maria o terreiro benzer,
e ainda tem jongo ao luz do luar.

Ah meu lugar,
tem mil coisas pra gente dizer,
o difícil é saber terminar,
Madureira, lá, laiá.
Madureira, lá, laiá.

Em cada esquina um pagode um bar,
em Madureira.
Império e Portela também são de lá,
Em madureira.

E no Mercadão você pode comprar,
por uma pechincha você vai levar,
um dengo, um sonho pra quem quer sonhar,.
Em madureira.

e quem se habilita até pode chegar,
tem jogo de ronda, caipira e bilhar,
buraco sueca pro tempo passar,
Em madureira.

E uma fezinha até posso fazer,
no grupo dezena, centena e milhar,
pelos setes lados eu vou te cercar,
Em madureira.

La la la la ialalaialalaia, em madureira
Lalalaialalalalalaia, em madureira

sexta-feira, 3 de agosto de 2018

DICAS PARA QUEM VISITA UM TERREIRO PELA PRIMEIRA VEZ OU PARA SUAS CONSULTAS

O terreiro é um local sagrado onde pessoas se encontram para receber a irradiação dos Orixás e obter consultas, orientações dos guias e mentores (Baianos, Marinheiros, Ciganos, Exus, Crianças, Caboclos, Boiadeiros, Pombagira, Exu Mirim, Eres, Outros) diante dos seus problemas espirituais. 


Essa atmosfera santa necessita de alguns cuidados da sua parte se você é um visitante de primeira viagem ou recorrente:

1) Evite decotes e roupas jutas, além de ser um ambiente familiar, há de se perceber o que é roupa de balada e o que é roupa de ir a um lugar religioso. O Preto velho não precisa ver os bustos de uma consulente para dar o seu passe.

2) Opte por roupas mais claras, pois elas são melhores condutoras de energias positivas quando a finalidade é culto religioso. 

3) Evite ficar no celular durante a gira, pois isso desfoca a sua atenção. Os pontos cantados são rezas e como tal estão ali para serem apreciados, ouvidos, entendidos, internalizados e, portanto, tocar em você o que é Umbanda. 

4) Evite conversas paralelas, o seu colega do lado não dá passe, quem dá é o guia. Espere a sua vez como todo mundo. Seja paciente, seja educado, seja respeitoso. Se você for visitar um centro e não gostar da energia ou de alguma coisa, lembre-se que você é livre para se retirar e ir embora. Não fique criticando o local visitado e muito menos os guias de trabalho. 

5) Não coloque chicletes embaixo das cadeiras. Lembre-se que ali é um lugar santo. Jogue o lixo no lixo, um terreiro não tem funcionários, ou seja, para sua manutenção se faz necessário a colaboração de todos. 

6) Se o terreiro que você foi a gira vai até tarde, evite ficar fazendo barulho na vizinhança. A Umbanda é exemplo de boa convivência, prega a paz, portanto, ensina e cobra dos seus frequentadores o bom senso. 

7) Se houver poucas cadeiras, lembre-se que a preferencia é para idosos, gestantes, pessoas com necessidades especiais e crianças de colo. Não deixe sua bolsa guardando lugar, tente se colocar no lugar do outro, não fazer com o outro o que você não gostaria que fizesse com você. 

8) Em caso de levar crianças, lembre-se que a responsabilidade de acompanhá-la, de garantir a sua boa conduta é sua. As birras e comportamentos de crianças que querem mexer onde não tem autorização atrapalham a convivência coletiva. Pais ou responsáveis devem se responsabilizar por acompanhá-las durante a gira. 

9) Todas as pessoas e médiuns que trabalham na casa estão ali para servi-lo, para prestar a sua caridade, não trate ninguém com desdenho. 

Aproveite o que há de melhor em uma gira de Umbanda: humildade, amor, respeito, evolução e caridade.  

CIGANO LUANO



Luano segura a gira,
não deixa gira bambear

Luano segura gira
pros Ciganos trabalhar

quinta-feira, 2 de agosto de 2018

FÁBULA SOBRE INGRATIDÃO: O ESCORPIÃO E O PATO - POR EDUARDO DE OXOSSI

Se entendemos a gratidão como ato de agradecer e reconhecer a ajuda que recebemos, a Ingratidão ocorre quando alguém não dá valor ao que você faz ou fez por ele (a), ou pior mordem a mão que um dia foi estendida para ajudá-los e levantá-los. 



O ESCORPIÃO E O PATO

Certo dia, o escorpião precisava atravessar o lago mas era incompetente na habilidade de natação. O Pato, muito amistoso e solicito ofereceu ajuda ao escorpião deixando-o ir em suas costas para chegar ao outro lado. No meio do caminho o escorpião sentiu muita fome, não resistiu e picou o Pato que por sua vez não resistiu ao veneno e morreu, como o escorpião não sabia nadar, morreu afogado. 



MORAL DA HISTÓRIA

1) Nunca tente prejudicar quem te ajuda ou ajudou, pois assim como o escorpião sofreu as consequências da sua má índole, o universo e a justiça divina garante que cada um se afogue nas consequências de seus atos.   
2) O mundo está cheio de escorpiões, pessoas que esperam a hora certa para mostrar o seu veneno. Se você tem o perfil do PATO, continue ajudando as pessoas, pois nosso pai Oxalá sabe de todas as coisas, sabe do nosso coração e de nossas intenções. Nestas duas mortes é muito provável que o escorpião seja corrigido no plano espiritual do que o PATO. 
3) As vezes a ganancia do escorpião presente no homem para que ele queira ser mais do que ele é não é apenas um veneno para prejudicar o outro, mas a si mesmo. 
4) Por mais feroz escorpião que você seja, não esqueça-se que haverá habilidades das quais você não é bom e precisa ou precisará da ajuda alheia. Cada ato de arrogância e ingratidão mata um PATO no seu caminho.