Pular para o conteúdo principal

ORI E UMBANDA - POR EDUARDO DE OXOSSI

 


Ori é uma uma palavra de Yorubá que significa “cabeça”, um termo do candomblé que representar o orixá da nossa cabeça, a nossa mente, a nossa inteligência, um pedaço de deus em nós, nossa essência. Não é o mesmo que “Orixá de cabeça”. Todos independente do seu panteão de orixás (de quem você é ou não filho, quem é seu orixá de frente, etc), todos temos o Orixá Ori em nossas cabeças.

 

Ori é nosso Orixá pessoal, que trabalha para nós, que vibra em prol dos nossos caminhos, nossa força, nossa grandeza, a nossa pessoalidade, nossa personalidade, nossa subjetividade. Na Umbanda esse termo, bem como seus cuidados e migração de conhecimento está presente em Umbandas ditas como Omoloco, Traçadas, Umbandomblé e outras nações fortemente influenciadas pelo Candomblé, ou ainda em casas em que o zelador toca Umbanda e Candomblé (mesmo que em dias separados).

 

Outros tipos de Umbanda acabam substituindo esse cuidado como o anjo de guarda, mas eu particularmente não acho que um substitua o outro, ambos se complementam. Tem pessoas que não tem o conhecimento sobre esse assunto na Umbanda e vivem bem. Outras que tem o conhecimento de Ori e vivem mal! Isso se dá pois entre os segredos de cultuar e cuidar do ori, de ter um ori saudável, equilibrado e bem sucedido em nossas vidas, ativo em nossas bênçãos e conquistas está:

 

- Ter um bom caráter;

- Ter bons princípios;

- Não ser uma pessoa mal intencionada;

- Não fazer maldade ao próximo;

- Não ter uma língua fofoqueira e praguejadora;

- Etc.

 

O Ori positivado é um ori positivo de atitudes em primeiro lugar de modo que não adianta fazer ebós, assentamentos, firmezas se a pessoa é uma pessoa ruim, invejadora, traiçoeira, ingrata, mentirosa, dissimulada, amarga, etc.

 

Pessoas más tem poucas perspectivas de progresso, pois além de suas atitudes desagradar e negativar seu próprio Ori, os demais Orixás não são cegos, entre eles, o próprio Orixá da pessoa, Xango da Justiça, Exu dos Caminhos e assim por diante.

 

Independente da sua casa cultuar ou não o Ori, entenda que essa premissa é quase que universal: “O universo conspira à favor de gente honesta”.

 

Além de mantermos uma boa índole, termos boas atitudes e um bom caráter, outras dicas valiosas para cuidar do Ori são: Banho de água de coco seco, banho de quiabo, banho de peregun verde e Obi, sendo esse ultimo necessário a presença de um zelador de santo que saiba as devidas rezas e procedimentos para tal.

 

Ter uma boa cabeça, ter um bom Ori, ter boas atitudes é essência Ioruba para que os ebós, feituras e demais ferramentas do sagrado tenham sua eficácia no cumprimento dos seus propósitos. Na dúvida sobre como cuidar da sua cabeça, procure o pai de santo de sua confiança e conheça a doutrina da casa que você frequenta.

 

Um Ori negativo, uma cabeça negativa, uma pessoa maquiavélica é autodestrutiva por si só, não precisa de demanda ou de inimigos, ela mesmo fecha seus caminhos e impede sua vida de progredir. Há de se entender de uma vez por todas que a religião do Orixá não é balcão de pedidos ou de desejos e soluções mágicas onde tudo será resolvido por você.




A principal mudança na vida começa com as atitudes que escolhemos ter conosco, com o próximo, com o sagrado e para com a sociedade.  Independente da sua casa entender, reconhecer o Ori ou não, eu tenho plena certeza que é desejo de todos os guias, é teor de todos os conselhos dados no passe que o ser humano evolua e tenha uma cabeça melhor. Nisso já está o Ori!

  



Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

TRABALHOS COM CABEÇA DE CERA NA UMBANDA

INTRODUÇÃO A Cabeça é o lugar mais sagrado para o Umbandista. É ali que vive o seu Ori, sua coroa, sua mente, seu cérebro, o início dos seus chacras, etc. Trabalhos com cabeça de cera devem ser feitos por pessoas experientes e fundamentadas. Na dúvida sobre o que ou como fazer, sempre consulte o pai de santo de sua confiança.  CABEÇA DE CERA PARA OXUM: PEDIDOS E PROMESSAS Oxum (Nossa senhora de aparecida) é muito conhecida por receber cabeças de cera em seus trabalhos, seja ele para amor (embora a Umbanda em si seja contra trabalhos de amarrações) ou para outros pedidos.  Em São Paulo está localizado o Santuário de Aparecida do Norte. Lá é recebido diariamente muitas peças de cera em pedido ou agradecimento de graças alcançadas por seus fiéis.  Podemos fazer cabeça de cera para cura, para melhorar os pensamentos, clarear as ideias, etc.  CABEÇA DE CERA COM YEMANJÁ: CALMA, LIMPEZA E DISCERNIMENTO.  Yemanjá é a mãe de todos. Este trabalho é indicado para ac

VELAS E SUAS DEFORMAÇÕES: "MINHA VELA BORRADA, O QUE ISSO QUER DIZER?"

INTRODUÇÃO A Umbanda é uma religião que trabalha com energia, portanto, ela pode se movimentar de ponta a ponta, de forma neutra ou intencionada. Sendo intencionada, podemos identificá-la como positiva ou negativa, recebida ou negada, desviada, redirecionada, etc. Se formos olhar a definição de dicionário, "energia" nada mais é do que a capacidade de um corpo, objeto ou molécula realizar seu trabalho. Se formos pensar em "energia de vela", seria a capacidade que a vela tem de executar o seu trabalho (quebra demanda, proteção, maldade, reversão, desvio, anulação, potencialização, cobrança, correção, direcionamento, etc).  Muitas pessoas que acendem velas se perguntam: "Olha como minha vela ficou", o que isso quer dizer? Para responder essa pergunta primeiro é necessário levantar quais variáveis borram uma vela. Sua vela pode borrar por estar exposta ao vento (ventilador, janela aberta, porta aberta, alguém que passou correndo, etc), pode

MAGIAS COM MAÇÃ NA UMBANDA

A maçã é uma fruta afrodisíaca com diversos benefícios para o organismo humano. Ela combate o envelhecimento, ajuda no controle do hálito, controle de diabetes (por ser rica em pectina), controle do colesterol, etc. No geral, frutas com a polpa branca, como maçã e pera, podem reduzir o risco de uma pessoa sofrer um acidente vascular cerebral (AVC). Esta é a conclusão de um estudo feito pela Universidade de Wageningen, na Holanda, em que foram acompanhadas 20.069 pessoas, entre as idades de 20 e 65 anos.  A pesquisa levou dez anos para ser desenvolvida. Após este período, os pesquisadores viram que as pessoas que mais comiam alimentos de polpa branca de frutas e legumes tinham 52% menos chances de ter um AVC. Apesar de deixarem claro que é preciso ter mais estudos para confirmar as descobertas, os estudiosos afirmam que o consumo de uma maçã por dia, reduz o risco em cerca de 40% (Fonte: Ciclovivo.com.br). A Maçã ainda é indicada para combater problemas respiratórios